www.
revistagestor
.com.br
11
Revista Gestor
| ed. 32
AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE OS SETORES ECONÔMICO, FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO
BNDES:
ganhos
de R$ 4,88 bi
Arrecadação recorde
Entre janeiro
e setembro de
2013, o lucro líquido do Banco
Nacional de Desenvolvimento
Econômico e Social (BNDES) somou
R$ 4,88 bilhões, resultado 3,5%
mais alto do que o do mesmo
período de 2012, quando os ganhos
totalizaram R$ 4,72 bilhões. Os
resultados com o financiamento
a projetos de investimento do
setor produtivo foram os principais
motivadores do desempenho
positivo. Já o segmento de renda
fixa contribuiu com 74,3% do
resultado total do banco, somando
R$ 7,42 bilhões, ou seja, um
aumento de 8,7% sobre os R$ 6,83
bilhões de igual período do ano
passado. No menor patamar dos
últimos cinco anos, a inadimplência,
em 30 de setembro de 2013,
foi de 0,02%. Em dezembro de
2012, a inadimplência no BNDES
era de 0,06%. Com os números,
o patrimônio líquido do sistema
BNDES totalizou R$ 60,33 bilhões
em setembro de 2013, número que
supera os R$ 96,02 bilhões obtidos
em 30 de junho deste ano. //
Em um
recorde para outubro, a arrecadação de impostos e
contribuições federais, incluindo receitas como os royalties, totalizou
R$ 100,99 bilhões no último período. Os dados são da Receita Federal,
que destaca que, no mesmo mês em 2012, a arrecadação somou R$
90,5 bilhões, em valores corrigidos pela inflação, o que representa uma
alta real de 5,43%. Já no acumulado de 2013, a arrecadação acumula
R$ 907,44 bilhões, uma alta de 1,36% em termos reais sobre igual
época do ano passado e também um recorde para o período. Mudanças
no modelo de arrecadação das empresas que declaram pelo lucro real
(as 200 maiores companhias do Brasil) foi um dos fatores que geraram
o resultado positivo. Com isso, em relação a outubro de 2012, a
arrecadação das maiores empresas do País subiu R$1,74 bilhão.
//
Após registrar
superávit em
agosto e setembro de 2013, a balança
comercial brasileira apresentou
déficit em outubro, ficando com
saldo negativo em US$224 milhões,
com US$ 22,8 bilhões em vendas
externas e US$ 23 bilhões em
compras. De acordo com o Ministério
do Desenvolvimento, Indústria
e Comércio Exterior, os valores
representam o pior resultado para
o mês desde 2000. No total no
ano, a balança comercial do País
está negativa em US$ 1,8 bilhão, o
maior déficit para o período desde
1998, quando o saldo acumulado
de janeiro a outubro ficou no
vermelho em US$ 5 bilhões. Os
negócios externos de produtos
industrializados tiveram avanço de
9,1%, em comparação a outubro
de 2012, resultado impulsionado
pela exportação de uma plataforma
para extração de petróleo, no valor
de US$ 1,9 bilhão. No entanto, as
exportações de semimanufaturados
e básicos recuaram 21,7% e 0,3%,
respectivamente. //
Balança em
desequilíbrio
Mais de
23 milhões de pessoas
possuem empregos formais
no Brasil, contra 1,3 milhão
oficialmente desempregadas. Os
dados fazem parte da Pesquisa
Mensal de Emprego (PME), do
Instituto Brasileiro de Geografia
e Estatística (IBGE) e indicam
que somente 5,2% da população
nacional não possui trabalho,
a menor taxa desde dezembro
de 2012, quando o percentual
correspondente ficou em 4,6%.
O índice é também inferior ao
registrado em outubro de 2012
(5,3%) e ao de setembro deste
ano, quando ficou em 5,4%. Já
a quantidade de trabalhadores
com carteira assinada no setor
privado (11,9 milhões) ficou
estável em relação a setembro
deste ano, no entanto se expandiu
em 3,6% se comparado a outubro
do ano passado. Por outro lado,
em relação à oferta de postos de
trabalho, houve queda somente
nos serviços domésticos. //
Emprego
para todos
Foto: Marcello Casal Jr/ABr
1...,2,3,4,5,6,7,8,9,10 12,13,14,15,16,17,18,19,20,21,...136